Páginas

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Ego

.
.
..
...
O diálogo é do ótimo “Sonhando Acordado”.
Diálogo jocoso, inusitado e, acima de tudo, honesto – mas de um tipo caricato de honestidade, inescrupuloso até, que escancarara sem pudor o egoísmo felino de um dos interlocutores.
A fala beira o absurdo – ou o ridículo –, e a graça está precisamente na ridícula desfaçatez do personagem Paul (Simon Pegg).
Ele está aborrecido porque descobriu que a ex-mulher – a quem traía sistematicamente, da qual se dizia farto, e que finalmente o deixara – está com outro.
Seu amigo, Gary (Martin Freeman), ouve o seu ‘desabafo’...

Bom, sem delongas, ao diálogo:

Gary
Eu não acredito que você esteja chateado.
Pensei que você estivesse contente de ter se livrado dela.

Paul (introspectivo)
E estou.
Sim, estou...
É que, sabe?, de certa forma...
É que... Eu não sei...
(pausa breve)
Eu queria que ela ficasse sentada naquele apartamento
para o resto da vida dela,
apenas, você sabe, pensando em mim...
Pensando só em coisas sobre mim,
pensando no quanto...
sabe?, no quanto eu sou o melhor.
E que tivesse esperança de que, talvez, eu pudesse voltar...
E eu até posso voltar! Talvez eu até volte!...
(pausa breve)
...se eu não encontrar nada melhor por aí eu até volto!
Eu sei, isso pode soar meio maluco,
mas significa muito pra mim.
Eu não quero é que ela seja feliz.
(pausa)
Isso faz de mim um egoísta?...

Gary (lacônico)
Sim
________

No original:

Gary
Hey, I can't believe you're so upset.
I thought you'd be glad to be rid of her.
Paul
I am. I am.
You know, in some ways...
It's just... I don't know.
I want her to sit in that apartment
for the rest of her life,
you know, just thinking about me.
I want her to think about how, you know,
I'm the best.
And to be hoping that I might come back.
And I might! I might come back.
If there's nothing better out there.
I know, it sounds crazy,
but this is too much for me.
I don't want her to be happy.
Does that make me selfish?
Gary
Yes.
...
..
.

Um comentário:

Mariê disse...

Esse é realmente um dos diálogos mais hilários que já ouvi. A honestidade do Paul é tamanha que soa absurda, mas acredito que deva haver muita gente por aí que pense de forma semelhante. Apenas não diz. ☺ ☻

E a sua introdução é excelente.