Páginas

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Penso...

.
..
...


Rodin, 'Pensador' (detalhe)

...
Ando a meditar no embaraço do que penso
(meada frouxa enovelada em dedos tensos)
Retesa e firme, obstinada intermitência,
Que se consiste na minha própria consciência.
Penso no que é denso..., tudo mais é inconsistência
Do que não penso, mas decerto, ainda assim,
Diz que eu preciso é me afastar de mim,
Pois se aflito ainda estou pela aflição

De este aqui ser mesmo eu, e outro não...
...
..
.

2 comentários:

Mariê disse...

Bela poesia sobre os dilemas do que somos e pensamos, ou pensamos que somos. Mas ultimamente eu queria e quero ser esta mesma, e outra não...
Beijo

Marcello disse...

Me2 (poema antigo, 'cê sabe...).
Beijo